Páginas

25 de jan de 2010

QUANDO A COMUNIDADE DENUNCIA, AS COISAS ACONTECEM...

Não há mais dúvida de que Segurança Pública é uma questão que envolve toda a sociedade brasileira. Há alguns anos nos demos conta de que as mobilizações da sociedade civil têm sido um suporte fundamental para a atuação das forças policiais.

As ONGs e universidades vêm tendo um papel destacado em colaborar na proposição de políticas públicas voltadas para o bem estar do cidadão e para a garantida dos direitos constitucionais. A colaboração de igrejas e redes religiosas, juntamente com as entidades profissionais, os movimentos sociais e as organizações comunitárias, têm permitido alcançar um novo nível de compromisso e consciência de segurança pública na comunidade em si.

Quando o cidadão atenta para pequenos detalhes, ou mesmo evidências de uma ação delituosa na comunidade em que vive, e denuncia, este cumpre seu direito de cidadão. Pois quanto mais o cidadão se mobiliza, buscando alternativas de cooperação com o serviço policial, mais a sociedade é beneficiada. Isso é cidadania.

O cidadão não deve estar apenas interessado em obter seus direitos e deveres de forma pessoal e sim promover o desenvolvimento humano, com atitudes de cooperação que reforce a promoção da segurança, em uma visão ampla onde os benefícios devem ser alcançados por todos.

Segurança Pública feita através da mobilização comunitária é fundamental, Primeiro, para que as instituições de segurança pública possam atuar conhecendo as necessidades e problemas da comunidade. Para uma atuação preventiva e eficaz, é preciso ouvir e conhecer os problemas locais;só que isso só é possível quando a comunidade resolve “por a boca no trombone” e denunciar quaisquer irregularidades que estejam ocorrendo no meio onde vivem, possibilitando assim que a polícia identifique as causas do crime e da violência podendo atuar mais diretamente nas ações de prevenção.

Portanto, é fundamental a participação da comunidade na prestação de informações que identifique o infrator e assegure a paz social.

Nesse sentido, as igrejas, organizações religiosas e comunitárias, ONGs e movimentos sociais presentes na localidade podem desempenhar um papel chave, contribuindo e trazendo melhorias à população.

Polícia Militar, trabalhando junto e em prol do cidadão.
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL DO 8.º BATALHÃO

Nenhum comentário: