Páginas

26 de nov de 2009

IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA NA SEGURANÇA CIDADÃ.

Sabemos que as ações de combate a criminalidade que a Polícia juntamente com os agentes de políticas públicas voltadas a segurança têm desenvolvido, são responsáveis pelo considerável impacto na redução dos índices e trazido a sensação de tranqüilidade tão almejada pela população.


À medida que a criminalidade evolui, os órgãos de combate ao crime procuram superar suas ações, de forma a estarem aptos a repelir as agressões a pessoas, ao seu patrimônio e à sua liberdade.

Voltando a história, sabemos que a Polícia Militar de Minas Gerais foi criada para combater os ladrões de minério que seguia pelas Estradas de Minas, até os portos com destino a Portugal, onde um Corpo de Guardas utilizando cavalos fazia a defesa dos bens para que não fossem roubados.

Na época, não havia viaturas e quando o autor de delitos fugia, restava ir à pé e quando realizava a prisão do infrator, o deslocamento para providências, diga-se de passagem, era bastante oneroso.

No século XXI, apesar da evolução dos meios de combate aos crimes, os criminosos tentam usar os meios disponíveis como automóveis, celulares, armas de fogo, internet e outros; a denúncia de crimes partindo das pessoas de bem é o que a polícia PRECISA para dar resposta aos anseios da comunidade.

Dentro deste contexto, o 8.º Batalhão, tradicional Unidade da Polícia Militar com sede em Lavras/MG, vem cumprindo sua missão nas 25 cidades sob sua responsabilidade, utilizando recursos modernos no sistema de ensino e aprendizagem, contando com profissionais do mais alto gabarito e o imprescindível apoio comunitário.

Com um efetivo bem treinado técnica e taticamente, disciplinado e com a participação da comunidade, a Polícia Militar tem conseguido manter no Sul do Estado os mais baixos índices criminais, promovendo um ambiente seguro para os cidadãos de bem.

Vale lembrar que participação da comunidade em denúncias de fatos criminosos que afloram, é o que precisamos para conter a criminalidade e da parte da instituição policial, podemos garantir que o investimento no profissional com treinamentos periódicos é o diferencial para dar segurança às pessoas.


POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS, REFERÊNCIA NA PRODUÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS E ORGULHO DO POVO MINEIRO!

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL – 8.º BPM

2 comentários:

CIDADÃO REVOLTADO COM A POSTURA DA PM disse...

Sr Editor,

Não obstante a PM de MINAS estar preparada com maior efetivo, mais viaturas e sob a vigência de um CÓDIGO DE TRÂNSITO em pleno século XXI, pergunta-se:

1- Porquê A PM faz VISTA GROSSA para o não uso do CINTO DE SEGURANÇA em OLIVEIRA-MG? Para ser mais EXPLÍCITO:

Porquê A PM não FISCALIZA o USO DO CINTO DE SEGURANÇA em nossas ruas? Basta andarmos no trânsito pelas RUAS DE OLIVEIRA para comprovar que a PM NÃO REPRIME condutores que insistem em burlar A LEI, sob a complacência da PM.

Alguém poderia me dar uma resposta condizente?

PM INTERATIVA disse...

Saudações!
Tenha certeza que medidas saneadoras já estão sendo tomadas pela PM em Oliveira.

Não há complacência, sequer "vista grossa" alguma por parte da PM, apenas estamos aumentando a cobrança gradativamente, basta verificar a quantidade de blitzen realizadas nesta cidade que a exemplo de outras tantas cidades brasileiras, alguns condutores insistem em desrespeitar o CTB, apostando na impunidade (tão comum no Brasil), mas estão enganados, porque no que for de competência da PMMG (59.ª Cia PM), as providências legais pertinentes serão tomadas.
Na questão do USO DO CINTO DE SEGURANÇA, antes de ser INFRAÇÃO DE TRÂNSITO, é uma questão de SEGURANÇA para os ocupantes do veículo.

Basta verificar junto ao Setor de Trânsito da Delegacia de Polícia para tomarem conhecimento de quantas autuações de infrações de trânsito são lavradas pela PMMG aqui em Oliveira.

Nos valemos de todas as estratégias educativas disponíveis, mas para aqueles que insistirem em "ignorar" a legislação de trânsito, irão conhecer os artigos do CTB (Código de Trânsito Brasileiro).